Livros físicos

Gostou? Compartilhe!

Livros físicos, para autor independente, são uma dor de cabeça sem fim. Estou desde o começo tentando achar uma forma de isso funcionar e achei que imprimir pequenas tiragens ia ser uma boa solução, mas… Não funciona tão bem assim.

Primeiro, tem aquele eterno problema de gráfica. Achar uma gráfica boa e barata é impossível. Se é barata, vai dar dor de cabeça. Vai atrasar impressão, vai imprimir errado e vou ter que ficar mandando sei lá quantos emails cobrando uma solução, vai mexer nos arquivos que eu envio porque deu na telha, a qualidade de impressão não vai ser boa, a capa vai começar a soltar depois de algum tempo… E por aí vai. Essa lista aí toda é de coisas que aconteceram comigo ou com autoras que conheço. Não é invenção. As únicas gráficas que eu nunca ouvi reclamações a respeito são mais caras – e são aquelas que não dá para imprimir menos de 50 livros, o que, sendo realista, não é uma quantidade tão fácil de vender assim, levando em conta custo final e frete.

Segundo… A essa altura eu já estou com uma boa quantidade de livros lançados. São os 4 de Crônicas de Táiran, mais os 5 de Filhos do Acordo, mais Nilue e Ciclo da Morte (e o restante da série que sai daqui a pouco), então ficar organizando lista de pessoas interessadas em cada um deles e ir imprimindo picado demanda tempo e paciência, duas coisas que vivem em falta aqui. Sem falar que imprimir pequena quantidade assim vai me jogar no problema que falei antes: a dor de cabeça da gráfica.

Como eu sei que tem até bastante gente que faz questão de ter o físico (e admito que quero eles na minha estante também), tive que achar uma solução alternativa, porque continuar passando raiva com gráfica desse jeito não dá. Então, o que vou fazer a partir de agora é o seguinte:

Lista de pré-venda/encomendas dos lançamentos (isso vai valer para todos os livros que ainda não tiveram físico). O plano é fazer duas rodadas de impressão esse ano, uma agora em julho e outra mais no fim do ano, só não dou certeza porque tem uma Bienal no meio do caminho. No ano que vem, como já vou ter imprimido os ‘atrasados’, vou imprimir os físicos logo depois do lançamento dos ebooks, então deve ser uma lista de pré-venda por trimestre.

As impressões vão ser todas sob encomenda. Isso quer dizer que o número de pedidos que eu tiver é o número que vou mandar imprimir. Sem nada a mais, a não ser que eu resolva levar algum livro para evento (o que vai ser raro, de qualquer forma).

Só vai ter uma tiragem de cada livro (a menos que eu resolva levar para evento – o que não é nenhuma garantia de nada nem tenho como falar quando/se vai acontecer).

Depois disso, os livros físicos vão ser vendidos através da Amazon, no esquema de impressão sob demanda. Isso quer dizer que provavelmente vão sair um pouco mais caros e não vão ter orelhas, mas é isso ou não imprimir mais depois dessa primeira rodada. Prefiro colocar à venda na Amazon porque gosto da qualidade de impressão deles, o preço não chega a ser absurdo igual umas nacionais de impressão por demanda que já vi e tem a questão do frete, que costuma ter um preço bom e ser rápido.

E é isso. Quem estava atrás de Crônicas de Táiran, assim que passar o lançamento de Refém da Noite já vou começar a preparar os arquivos para colocar à venda lá. E para quem quer Filhos do Acordo, ainda tenho 4 exemplares de Kernos e 12 de Darius. Acabando eles, vão para a Amazon também.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.